Aglehg's Blog

Ícone

Just another WordPress.com site

an example

Dr. Eleni Gabre-Madhin

http://www.jimmatimes.com/article.cfm?articleID=31702

A story of regulation, mediation. The story of a platform fonded with the grounds of aiding distribution.

Aiming not at wealth, but at prosperity. Not at equality, but at transparency, and with it at fairness.

A story that wormed my heart with hope, eased my general paranoia, and reassured my belief that what the world lives now, is not an economic crisis , but a trust crisis. Motivated by the lack of transparency of public organizations, and the corruption of some leaders…

 

Anúncios

Filed under: oikonomía

it’s my birthday

Aniversário

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu era feliz e ninguém estava morto.
Na casa antiga, até eu fazer anos era uma tradição de há séculos,
E a alegria de todos, e a minha, estava certa como uma religião qualquer.
No tempo em que festejavam o dia dos meus anos,
Eu tinha a grande saúde de não perceber coisa nenhuma,
De ser inteligente para entre a família,
E de não ter as esperanças que os outros tinham por mim.
Quando vim a ter esperanças, já não sabia ter esperanças.
Quando vim a olhar pela vida, perdera o sentido da vida.

Sim, o que fui de suposto a mim mesmo,
O que fui de coração e parentesco,
O que fui de serões de meia-província,
O que fui de amarem-me e eu ser menino,
O que fui – ai, meu Deus!, o que só hoje sei que fui…
A que distância!…
(Nem o acho…)
O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!

O que eu sou hoje é como a humidade no corredor do fim da casa,
Pondo grelado nas paredes…
O que eu sou hoje (e a casa dos que me amaram treme através das minhas lágrimas),
O que eu sou hoje é terem vendido a casa,
É terem morrido todos,
É estar eu sobrevivente a mim-mesmo como um fósforo frio…

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos…
Que meu amor, como uma pessoa, esse tempo!
Desejo físico da alma se encontrar ali outra vez,
Por uma viagem metafísica e carnal,
Com uma dualidade de eu para mim…
Comer o passado como pão de fome, sem tempo de manteiga nos dentes!

Vejo tudo outra vez com uma nitidez que me cega para o que há aqui…
A mesa posta com mais lugares, com melhores desenhos na loiça, com mais copos,
O aparador com muitas coisas – doces, frutas, o resto na sombra debaixo do alçado –,
As tias velhas, os primos diferentes, e tudo era por minha causa,
No tempo em que festejavam o dia dos meus anos…

Pára, meu coração!
Não penses! Deixa o pensar na cabeça!
Ó meu Deus, meu Deus, meu Deus!
Hoje já não faço anos.
Duro.
Somam-se-me dias.
Serei velho quando o for.
Mais nada.
Raiva de não ter trazido o passado roubado na algibeira!…

O tempo em que festejavam o dia dos meus anos!…

{Álvaro de Campos, Poemas}

 

Eu e o Álvaro temos quase tudo em comum, com grande destaque a dar ao facto de não passar-mos do produto da imaginação de alguém, um produto tão forte que é capaz de envenenar a consciência da pessoa que imagina a ponto de ela já não saber que se imagina.

Filed under: e-moções

Solutions to make your way trought the standard(tless) world of IE

if you came here first go here for the end of the story

https://cogimagi.wordpress.com/2010/12/07/ie6-the-nightmare/

=================================================================================

A single solution with all engines… damn miracle from my perspective

http://www.my-debugbar.com/wiki/IETester/HomePage

Microsoft proposes a diferent virtual machine for each engine.

lol sounds like scary movie for css aficionados!

http://www.microsoft.com/downloads/en/details.aspx?FamilyId=21EABB90-958F-4B64-B5F1-73D0A413C8EF&displaylang=en

Filed under: Raios e Coriscos

i6 funeral

http://ie6funeral.com/

“Internet Explorer Six, resident of the interwebs for over 8 years, died the morning of March 1, 2010 in Mountain View, California, as a result of a workplace injury sustained at the headquarters of Google, Inc. Internet Explorer Six, known to friends and family as “IE6,” is survived by son Internet Explorer Seven, and grand-daughter Internet Explorer Eight.
Thanks to all who came out last night, and thanks Microsoft for sending flowers! Checkout the pics on flickr. “

Just plain Hilarious!

Filed under: webdev

É para aqui que fujo quando quero que a beleza do lugar ensurdeça o pensamento

Quinta do Lago

Filed under: Fotografia

Pequenos gestos

Sinto-me resoluta a deixar os pedaços podres de toda a peça de fruta ou legume que encontrar no supermercado, virados para cima!

Eu compreendo que os senhores tenham um problema a resolver: encontrar forma de fazer passar as peças degradadas pelo mesmo preço daquelas que não estão.  Sucede que no meu entender, não teem o mesmo valor. O que me deixa com muito mais problemas do que os senhores tinham inicialmente.

– Impedir-me de levar legumes / fruta degradada para casa.

– Já que estou a perder tempo com isso,  facilitar a tarefa à proxima pessoa com juízo que por ali passar.

– Conter-me para não começar a divagar até que ponto é que é legal, a solução que os senhores encontraram…  (“publicidade enganosa”, fraude.. )

Por vezes temos tendencia a desculpar estas coisas, por nos parecerem.. “delitos menores”. Mas na realidade será que alguém fez as contas? Quanto ganharam os hipermercados com a troca fraudulenta? Quanto perderam os Portugueses que jogaram a fruta para o lixo 2 dias depois? Quanto gastou o nosso sistema de saúde naqueles  que cortaram o “bocadinho mau”?

Haja riso.. é o unico remédio que ainda não se paga.

Filed under: Raios e Coriscos