Aglehg's Blog

Ícone

Just another WordPress.com site

ah afinal há um código deontológico

http://www.ordemengenheiros.pt/Default.aspx?tabid=100

Gosto. Tenho andado triste por sentir que a dignidade é um bem análogo aos diamantes, dado que é necessário escavar uma montanha (composta maioritáriamente de pedras vulgares) para se encontrar um. Mas afinal o princípio existe e é regra.

ARTIGO 88°

Deveres do engenheiro no exercício da profissão

1 – O engenheiro, na sua actividade associativa profissional, deve pugnar pelo prestígio da profissão e impor-se pelo valor da sua colaboração e por uma conduta irrepreensível, usando sempre de boa fé, lealdade e isenção, quer actuando individualmente, quer colectivamente.

2 – O engenheiro deve opor-se a qualquer concorrência desleal.

3 – O engenheiro deve usar da maior sobriedade nos anúncios profissionais que fizer ou autorizar.

4 – O engenheiro não deve aceitar trabalhos ou exercer funções que ultrapassem a sua competência ou exijam mais tempo do que aquele de que disponha.

5 – O engenheiro só deve assinar pareceres, projectos ou outros trabalhos profissionais de que seja autor ou colaborador.

6 – O engenheiro deve emitir os seus pareceres profissionais com objectividade e isenção.

7 – O engenheiro deve, no exercício de funções públicas, na empresa e nos trabalhos ou serviços em que desempenhar a sua actividade, actuar com a maior correcção, de forma a obstar a discriminações ou desconsiderações.

8 – O engenheiro deve recusar a sua colaboração em trabalhos sobre os quais tenha de se pronunciar no exercício de diferentes funções ou que impliquem situações ambíguas.

ARTIGO 89°

Dos deveres recíprocos dos engenheiros

1 – O engenheiro deve avaliar com objectividade o trabalho dos seus colaboradores, contribuindo para a sua valorização e promoção profissionais.

2 – O engenheiro apenas deve reivindicar o direito de autor quando a originalidade e a importância relativas da sua contribuição o justifiquem, exercendo esse direito com respeito pela propriedade intelectual de outrem e com as limitações impostas pelo bem comum.

3 – O engenheiro deve prestar aos colegas, desde que solicitada, toda a colaboração possível.

4 – O engenheiro não deve prejudicar a reputação profissional ou as actividades profissionais de colegas, nem deixar que sejam menosprezados os seus trabalhos, devendo quando necessário, apreciá-los com elevação a sempre com salvaguarda da dignidade da classe.

5 – O engenheiro deve recusar substituir outro engenheiro, só o fazendo quando as razões dessa substituição forem correctas e dando ao colega a necessária satisfação.”

Anúncios

Filed under: Raios e Coriscos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: